NOME:OXALATO URINARIO
 

CÓDIGO AMB92:28130316
 

SINONÍMIA:Oxalúria, Oxalato de cálcio na urina, Ácido oxálico.
 

SEÇÃO TÉCNICA:Bioquímica
 

MATERIAL:Urina de 24 horas. Desprezar a primeira urina da manhã. Começar a colher, a partir de então, toda a urina do período desta manhã, tarde e noite, inclusive a primeira urina do dia seguinte, sem nenhum desperdício (colher todo o volume de cada micção e não apenas uma parte, pois perdas podem acarretar erros nos resultados). Manter o material refrigerado e enviar ao laboratório no mesmo dia do término da coleta. Aliquotar 50,0 mL de urina e informar o volume total. Sob solictação médica o exame pode ser realizado em urina isolada recente colhida 2 horas após a última micção.
 

PREPARO DO PACIENTE:Não ingerir vitamina C por três dias antes da colheita (chocolate, tomate, espinafre, morango, cápsulas ou qualquer formulação farmacêutica). Deve-se ingerir líquidos normalmente durante a coleta evitando excessos, pois grandes volumes dificultam as determinações. Não utilizar cremes ou óvulos vaginais nas 24 horas que antecedem a coleta, não estar menstruada.
 

CONSERVAÇÃO:Amostra isolada: Temperatura ambiente, estável até 3 horas após a coleta. Urina de 24h: Refrigerada, estável até 2 dias após a coleta.
 

PRAZO DE ENTREGA:15 dias úteis.
 

MÉTODO:Urina de 24h: Enzimático. Amostra isolada: Oxalato na urina : colorimétrico. Creatinina na urina: Picrato alcalino.
 

VALORES DE REFERÊNCIA:
Urina de 24h: criança : 13 a 38mg/24h. adulto: sexo feminino: 4 a 31mg/24h sexo masculino:7 a 44mg/24h. Amostra isolada:de 1 a 6 meses:56 a 175 mg de oxalato/g de creatinina 6 a 12 meses : 48 a 139 mg de oxalato/g de creatinina 1 a 2 anos : 40 a 103 mg de oxalato/g de creatinina 2 a 3 anos : 32 a 80 mg de oxalato/g de creatinina 3 a 5 anos : 24 a 64 mg de oxalato/g de creatinina 5 a 7 anos : 24 a 56 mg de oxalato/g de creatinina acima de 7 anos : 16 a 48 mg de oxalato /g de creatinina
 

INTERFERENTES:Ácido ascórbico, glicina e algumas drogas.
 

INTERPRETAÇÃO:O oxalato é um produto final do metabolismo( do ácido ascórbico e da glicina) excretado na urina. Pode acumular nos tecidos moles e conjuntivo do rim e da bexiga, formando cálculos renais ou causando inflamação crônica e fibrose. O teste é útil na avaliação do paciente com nefrolitíase. Níveis elevados são encontrados na oxalose, hiperoxalúria primária tipo I e II, calculose renal por oxalato de cálcio, insuficiência pancreática, diabetes mellitus, cirrose, entre outras. Valores reduzidos são encontrados em pacientes com insuficiência renal. O uso de ácido ascórbico em doses elevadas podem causar elevações nos níveis urinários de oxalato.
 

EXAMES RELACIONADOS:Uricosúria, Citratúria, Teste de Pak.